30/09/13

Meus Sonhos, Voltando trabalhar e o aniver da Minhas Tuas Nossas Receitas

E o tempo voa e quando nos damos conta já faz quase um ano que estive por aqui... affff! Mas a vida nos bastidores foi mais ou menos assim, acompanhem...(pelo menos uma parte dela)

Então, depois de 3 meses no seguro, chegou o dia de tirar as pantufas, passar uma base na cara e ir trabalhar.
E eu fui.
Encarnei a personagem, e encarei... gerente novo, colegas novos, vida nova...

(dúvida de etiqueta trabalhística: posso levar 14 fotos do meu filho e estampar minha bancada?)

Circulei pelos corredores, sorri para colegas e tomei cafezinho no meio da tarde. Satisfação momentânea...

 Porém, lá bem no fundinho, algo me diz: quedê a satisfação, gente? Quedê o poder, quedê o orgulho de mulher multifacetada? Ninguém sabe ninguém viu. Em vez de orgulho, eu pensei em por que caralhos a pessoa se meteu a trabalhar (mais outra vez)? E pensei que meu filho ainda é muito pequeno e não está pronto pra se virar sem mamãe. E pensei que eu trocava, base, mesa, computador, sorrisos e cafezinho por duas cafungadas bem dadas na fuça do meu pitchuco. Ai, como mãe sofre.

 Mas o fato é que... Deve ser só o choque do começo. A verdade é que eu tive estes meses inteirinhos de cafungadas, mas o dever chama, as contas pra pagar também e é hora de mudar um pouco a rotina. É tudo uma questão de readaptação. E, hoje em especial, segunda (30/09) é dia de folga. Folga abençoada acompanhada de muita chuva e frio aqui em PG City. Amanhã deixo meu “tuti tuti” outra vez, e encaro o batente abençoado por Deus e Cia Ltda....

Realmente foram muitas as histórias, dramas e risos neste período de ausência, que com o passar dos dias e se a minha internet ajudar, vou contar ainda...

Esta é apenas uma das últimas e, depois de longo tempo dedicando-me a cafungadas em bebê, acompanheirar marido e zelar de casa, o blog ficou às baratas virtuais... Aí, esta semana, minha amiga Marnia, amiga de Orkut, blog, fóruns e face, me convidou a participar da festa de 7 anos de sua página... lógico que eu não poderia faltar...

Então amiga, aqui está minha singela contribuição para o momento, em meio as correrias do meu-dia-a-dia:

Sonhos de Creme ou Marmelada

Para a massa:
03 tabletes de Fermento fresco para pão
01 colher de café de Sal
250 ml de Leite morno
03 colheres de sopa de Açúcar
02 colheres de sopa de Manteiga
03 Ovos
750 g de Farinha de trigo

 Para o recheio (Opção 1):
01 lata de Leite condensado
A mesma medida da lata de leite condensado de Leite Comum
02 gemas
02 colheres de sopa rasas de amido de milho
01 colher de sopa de manteiga
Essência de baunilha

Dissolva o fermento com o sal e acrescente o leite morno, o açúcar e os ovos. Em seguida, mexa para que os ingredientes se misturem. Adicione a manteiga em temperatura ambiente e vá acrescentando a farinha, aos poucos. Depois, mexa até dar o ponto na massa. Sove, então, sobre uma superfície enfarinhada e deixe descansar por cerca de 10 a 15 minutos.

Feito isso, abra a massa com o auxílio de um rolo. Modele os sonhos com cortador redondo e acomode cada um deles em uma assadeira retangular, polvilhada apenas com farinha. Deixe descansar por cerca de 20 minutos, para que dobrem de volume. Depois, frite em óleo não muito quente e escorra.

Açúcar e canela para polvilhar
 Óleo para fritar

Recheio (Opção 1)
Em uma panela, coloque o leite condensado, o leite (reservando um pouco), o amido de milho - dissolvido no leite reservado - e as gemas. Cozinhe tudo em fogo baixo, até engrossar (cerca de 6 minutos). Desligue e adicione raspas de limão ou essência de baunilha. Abra, então, os sonhos com o auxílio de um tesoura e recheie-os. Por fim, polvilhe açúcar e canela.

Recheio (Opção 2)
Marmeladas em cubos pequenos

 OBS.: Eu fiz as duas opções de recheio. Na Marmelada (Opção 2), usei em cubinhos e coloquei-as na massa crua, antes de fritar os sonhos.

 Receita: Palmirinha Onofre

Espero que tenham gostado!
Bjno6td...

03/07/12

As Genéricas desta Vida e o Filé de Mignon com Molho de Requeijão e Batata Palha

Durante um daqueles in dignos e embaraçosos momento de dar um “tapa” na make, arrumar a calcinha blusa no banheiro coletivo da empresa, quando uma mocinha “mui” simpática, aprendiz a pouco contratada na empresa, vira pra mim e diz:

- Descobri com quem você parece! Eu tava tentando lembrar...

E eu respondo na mesma simpaticidade:  - Com quem?

 * PAUSA - MOMENTO REMEMBER *

Quando eu era criança, cismei que parecia a Claudinha Teles. Tivemos uma Babá, a Desirrè, que teimava em me chamar assim. E eu acreditava coitada, cantarolááááva que só! Devia ser por causa das madeixas negras, e o glamour da vida de artista, que eu me via nela! De modo que sempre que alguém me falava Mesmo depois de adolescente): "você parece aquela moça...", eu toda prosa pensava na Claudinha. Verdade que quase sempre a pessoa completava assim: "... a Claudia Raia!", mas ok. Mais tarde eu virei, dizem, uma cópia da Julianne Trevisol (isto dito por mamá), e como eu trabalhava com eventos, as pessoas apostavam que poderíamos ser irmãs. Ok, super digno. Sendo então uma mistura de Claudinha Teles (né Dê?), Claudia Raia e Juliane Trevisol, tô felizona, tô pitéu, tô no lucro. 

* DESPAUSA*

Então, mocinha ia dizendo que eu parecia com alguém, e eu ("Claudinha Teles, Claudia Raia, Juliane Trevisol...?") fiquei esperando ela completar o raciocínio - com altas expectativas, notaram? E ela completou assim: 

- Aquela, aqueeeelaaa, "Contornei!"... Maria Clara Gueiros da Zorra Total!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!! Ataque fulminante de riso (mas ataque de riso in-ter-no, porque eu não queria parecer a louca da empresa ali no banheiro com uma guria que, só quis ser agradável, or not).

GÉ-ZUUUUIIIIZ!!

Prazer, Claudinha Teles

 Prazer, Julianne Trevisol 

Prazer, Maria Clara 

E não é que, pensando beeeem, é verdade mesmo? O jeitão, e a maneira muitas vezes desengonçada de mãos, caras, bocas e observações, pelo menos das personagens que minha “clone” interpreta, sou eu em 99% das vezes, e o pior de tudo... sem querer...

Eu achava que eu era ÚNICA ESTABANADA (ou que ninguém reparava)! kkkkk.

Mas não me importo com meu jeito de ser, que fique claro. Até gosto de ter esta maneira tresloucada, pelo menos eu me divirto tan-to, mas TANTO com a minha autoimagem delirante, que benza Deus, viu? Muito melhor que moooointas caras feias que tenho o desprazer de ver todos os dias... affff! :(

Agora concordem comigo, a pessoa acreditar no julgamento da própria mãe e se achar A CARA da Julianne Trevisol é muito amor, né? Terapia pra quê? (Te amo, manhêêê)

Depois desta, só falta saber com quem meu pitchuquinho irá se parecer... Se bem que, sendo com o papai, já tá lindo e maravilhoso d+, não acham?

Mas no fundo até fiquei feliz... poderia ter sido beeeeem pior... Poderia ter sido a Janéti! kkkkkkk




Melhor ir pra cozinha......

Filé Mignon com Molho de Requeijão e Batata Palha


1 kg filé mignon
1/2 cabeça alho
Azeite de oliva
Cubos de Bacon
1 pacote de batata palha
1 pote e 1/2 de requeijão


Corte o filé mignon em medalhões de 2 cm de espessura. Em uma frigideira, com um pouco de azeite doure o bacon, retire e reserve. Doure os medalhões até que eles estejam cozidos, mas não fritos e reserve, também, em uma forma separadamente. Após pique o alho e acrescente o azeite de oliva a gosto.



 Derrame essa mistura de alho e azeite de oliva sobre os medalhões que estão reservados na forma. Reserve o molho que soltou da carne na forma e junte o requeijão, enquanto isso, coloque os medalhões no forno e deixe cozinhando em forno médio uns 20 minutos.

 Acompanhamentos


Depois de pronto o molho de requeijão derrame sobre os medalhões de filé e acrescente a batata palha por cima. Sirva com arroz branco cozido com alho e vinho branco seco.



* Fonte Receita: Internet

PS.: Um big beijo pra minha amiga PEPA, que furou fila e me pôs na frente de outros blogs pra comentar. Valeu migááá! Edesculpaaemeupovo!

24/06/12

As surpresas, o Risoto de Camarão e Salmão Grelhado.



Veja como tudo na vida da gente dá-se um jeito, nem que pra isto dê correria...

Na noite do dia 19, véspera do meu aniversário, meu mozi cut cut,  muuuuuiiiito lindo, carinhoso, salve, salve...  saiu escondido pra comprar um bolo, que eu a-mo-de-pai-xão (marta rocha) pra surpresa da manhã seguinte. Comprou e guardou na geladeira, pra que eu não soubesse de nada.

Naquela noite nem o jantar me deixou fazer, pra não correr o risco que eu abrisse a geladeira... não vou mentir que achei estranho, porém, ameiiiiii por não precisar esquentar a barriga no fogão... até pensei com meus botões... “MOZI SOZINHO TOMANDO CONTA DA COZINHA?!? UAUUUU”  e eu sem saber de nada, inocente não vi, tanto que no dia do aniversario quase taquei o cabelo no bolo e o Henrique a mão, como já contei na postagem anterior (você que não viu, cricaakió).

Mozi, me levou pra trabalhar e escondidoooo novamente , saiu pra comprar os ingredientes pro almoço surpresa. Bom, foi no mercado comprar um arroz especial, camarão, salmão, e ervas finas, mas nesta cidade que nos conduz, onde de dia falta água e a noite falta luz, só achou as ervas finas, o arroz e a batata. (Também pudera, se não achasse nem batata... melhor mudar de cidade urgente!)
Tadinho, esqueceu que moramos numa cidade onde camarão e salmão é lu-xo benhê!

Então, sai o coitado desesperado de mercado em mercado, quitanda em quitanda, de boteco em boteco (não sei se ele não aproveitou e tomou uma cervejinha também... kkkkk ) pra achar o restante.
Na corrida desesperada atrás de camarão e salmão, teve uma ideia de girico... ir pra Curitiba até o mercado público pra buscar (juro que se fosse comigo, já tinha virado pra um virado de couve... não é falta de amor... é preguiça mesmo...mozi não leia isto...). E não é que ele foi mesmo...

Só abasteceu o carro e se atirou! E eu inocente, ligava pra ele pra sabe onde essa criatura estava, e ele “estou em casa” E o “bunito lá em Curita”... Pra sorte minha e alegria do nosso almoço dá apenas  100km de distancia daqui.

Comprou tudo, voltou pra casa, fez o almoço e digo a vocês, estava fan-tás-tico!

Confere ai a imagem e a receita:

Risoto de Camarão e Salmão Grelhado


Para o Salmão
500g de salmão temperado com sal grosso e pimenta
Azeite

Coloque-os em uma grelha, de preferência mais alta que as normais, para que fique grelhando sem pressa
Acompanhe com batatas cozidas, regadas com azeite e ervas finas


Para o Risoto
02 L de água
02 xic de arroz arbóreo
02 tabletes de caldo de camarão
1 1/2 cebola 
03 colheres (sopa) de manteiga 
1,5 Kg de camarão médio
01 copo de vinho branco seco
01 copo de creme de leite fresco
1/2 limão
sal à gosto

Tempere os camarões com limão e sal. Coloque em uma panela, 1 colher de manteiga e 1/2cebola picada. Refogue rapidamente os camarões e depois reserve-os para colocar no final do risoto. 





Comece o risoto: Coloque 2 colheres de manteiga e uma cebola cortada miudinha na panela. Refogue até ficar transparente. Em seguida, coloque o arroz e mexa. Quando começar a secar, coloque o vinho branco. Deixe evaporar a metade. Adicione uma concha do caldo de camarão e continue mexendo. Quando o arroz estiver secando novamente, coloque mais uma concha do caldo, sempre mexendo. Continue a operação, até o arroz ficar al dente (e sobrar um pouco de caldo, que deverá ser reservado). Esse cozimento leva aproximadamente 30 minutos em fogo médio. Adicione sal, se necessário. Misture bem os camarões e o creme de leite. Para finalizar, junte a última concha de caldo e vá mexendo. retire do fogo e coloque numa travessa.


Sem dúvida alguma... uma delícia!

Os dois homens da minha vida, hoje, na chácara di pópi
Mozi...brigada! Amo vc.

Ps1.: sou totalmente “dããã” pra surpresas... nem desconfio
Ps2.: meu mozi é ótimo em esconder coisas (isto pode ser perigoso! Òhmay...) ¬¬
Ps3..:  Um viva pra capital e um big abraço pro pessoal da peixaria, que salvou minha surpresa.

*Receita retirada da Internet segundo informação de mozi.

20/06/12

To ficando mais nova! ebaaaaaa

Ói eu aqui mais uma vez...

Pois é, o tempo passa, o tempo voa e a poupança Bamerindus nem existe mais... Mas eu continuo! e hoje completo mais um ano pra ficar mais nova (hohoho)… Mais um aniversário! (Aposto que poucas pessoas vão se lembrar dessa data, mããããs tiudiu bem. Vamos ver até o final do dia, o que importa é ter saúde né?…) :P
O que importa é que foi um ano cheio de felicidade, saúde e muito amor!
No ano passado nesta data tinha recém sabido da minha gravidez, foi um dos momentos mais lindos que já vivi (só perdendo pro nascimento do Henrique)...

Mas hoje, depois de uma bela noite de sono, a qual  há tempos eu não tinha, digo bela noite, porque mozi  assumiu único e exclusivamente as funções de pai e mãe, virando o "pãe" pra mamadeiradas  e resmungos na madrugada, fui acordada pelos dois homens-amados da minha vida, com uma cantiga de parabéns e um big bolo... Tá certo que eu meio bem estabanada, quase finquei* os cabelos no bolo... mas tirando isto, foi ótima a sensação de ver os dois ali, principalmente o Henrique bem acordado, todo acesso e sorridente.

Não posso pedir nada, só tenho bençãos a agradecer. Os meus maiores presentes, Deus já me deu, minha vida, minha família e meus amigos!

Posso dizer com segurança e de boca cheia de bolo... Sou Feliz!



Olha a carinha de alegria do meu anjinho sapeca...

* eu, por pouco, finquei os cabelos no bolo, já o Henrique fincou a mão! (este puxou a mãe....kkkk)

PS.: Parabéns a Celinha Marsola, que assim como eu, hoje está ficando mais nova também...

19/06/12

:: Narrativa de parto - Henrique e o sanduíche que desencadeou este evento

Finalmente, eis a história do nascimento do Henrique. Com 4 meses e 20 dias de atraso... (e finalizado por um peso enorme na consciência, porque já era pra eu ter vindo aqui moooointo antes!)

Na maternidade, usando os presentes do papai, com direito a topete...

 *AVISO: 
ATENCIÓN PUEDE CONTENER
  CIERTAMENTE PALAVRAS DE BAIXO CALÃO* 

 (Mozi acabou de me perguntar:"Le-gal, foi a Dercy quem escreveu?" 
Eu: Oi?!? Mááperaióh: assim como mulher parindo fala palavrão, 
mulher lembrando do parto também fala, tá? 
Eu já editei, mexi, remexi e deixei só o estritamente 
very very necessário, sem os quais não teria a devida 
carga dramática relacionada ao tema. 
Desde já vou contar com sua compreensão.) 

 Tudo começou numa noite de sábado, 22 de janeiro de 2012. Eu estava com 37 semanas , segundo o médico teimoso, porém, 39 semanas pelas minhas contas (eu que fiz, eu que sei!). Comecei a sentir contrações leves, irregulares e numa das idas ao banheiro pro famoso xixi (quem já foi ou esta embuxadinha sabe bem das inúmeras idas ao banheiro...) saiu uma coisinha diferente, meio visguenta acompanhada de um sague rosa claro. Eu, uma pessoa ex-ter-ma-men-te corajosa (cof! Cof!) como muitos tem certeza que não sou... Corri ao mozi e logo pedi o cel do médico. Eram 00:10h, não exitei, liguei. Dê lá do outro lado da linha( de certo, meio do início de uma boa noite de sono, o médico responde: “Não minha filha! Ainda falta muito pra você, e isto é apenas um sinal, que nosso garoto está vindo! Pode levar até 15 dias... What? 15 dias? Cumasim? Achei que era avisar e sair correndo!... mas tudo bem... Continuemos então. 

Naquela semana, passei todos os dias com pequenos sangramentos e algumas dores fortes na parte da frente da barriga.Dormir nem pensar, porque o peso tava e-nor-me. Justo naquela semana, no escritório foi um agito só... reuniões, compromissos e eu ali, firme e quase forte. Na quinta feira, senti tantas dores na madrugada que não pude ir trabalhar, e fui ao médico cedo! Ele me disse que tirasse uns dias antes do bebê nascer, pra que eu descansasse. A contra gosto, porque queria sair só no dia do parto mesmo, mas por outro lado, já não agüentava mais mesmo o peso e as dores nas costas... O médico novamente me disse: “Espere, que ainda vai looonge!”. 

Fui pra casa, e no sábado, pra desestressar or not, comecei a fazer uma big mega power faxina em casa (coisa de mulher grávida sem sossego e teimosa por natureza). Terminei o dia, como diria minha avó, ESBAFORIDA de cansada. A noite, com a casa perfumada, meu mozi ainda resolveu fazer um churrasco e convidar o parentesco do lado paterno do Henrique para o jantar... mas eu sem perder a pose, disse: Ca-la-ro! 

Naquela noite teve lanche especial** com petiscos e molhos, milho verde assado no espeto e vinho. A gravidez inteira não cheguei perto de nada alcoólico, mas naquela noite, além de encher “usbuxu” com boa comida, senti uma vontade incontrolável de tomar vinho. Se tomei? Claro que sim, e ainda brinquei com a avó do meu mozi: “ Caso, na noite de hoje, nós deite em dois e amanheça em três... o vinho já tomei!” 

Ainda fiz algumas piadas, que; mais do que eu me embebedar (pela falta de intimidade com os litros), ir para a maternidade e começar a correr pelos corredores com aquela camisola aberta na bunda parte traseira, gritando uuuhhhuuuu! Não iria acontecer. 

 Gente, dito e feito! Não me embebedei, mas a coisa (dores) só tratou de piorar e a sangueira também. Liguei as 23:10h pro médico o gajo me diz que está um pouco longe... na praia. What?!? PRAIA? Cumasim? E eu seu doto? 

 Me informou que eu fosse ao hospital onde já tínhamos planejado de fazer o parto e de lá da praia ele ligaria ao plantonista que era amigo de confiança dele, porque a esta altura do campeonato, eu já estava de perna mole de medo! 

 Chegando lá, o distinto médico, me diz que: “Apesar do sangramento seu colo esta com 4cm de grossura e você não tem nenhuma dilatação...” ( a que legal, e me explica as dores então???) O plantonista, apesar da noticia, me atendeu com a maior paciência do mundo< acho que notou meu medo e ligou ao meu médico, dizendo que eu deveria ficar internada... 

O que eu? Internada? Mas não nasce rapidinho? Ohmygódi! 

Bom, passei a noite em remédios para aliviar a dor e com a promessa que às 6h da manhã o plantonista viria me ver... deu 6, deu 7, e já eram 9 de la manhana (eu preocupadissíssima) quando meu médico apontou o narigão na porta, todo sem fôlego, dizendo que veio voando da praia pra me ver (sou importante benhê!), e me diz: 

- Ainda tá com dor? 
- Ahããm 
- Então, se prepara que será... agora! 
- Oi? 

 Quem me conhece sabe, que quanto mais nervosa, mais converso e dou risada. A enfermeira até estava assustada comigo do tanto que eu ria, cheguei na sala de parto, primeiro conversei pra ver se descontraia, mas que nada... nem era o corte que me assustava e sim a tal agulhada da anestesia, por sorte a equipe que escolhi foram The Best e correu tudo bem. 

E na manhã de um belo domingo 29/01/12, pelas mãos do meu querido amadíssimo simpaticíssimo Dr. Francisco Carlos, eu já estava com o Henrique nos braços, chorando rios de lágrimas e agora, não de medo, mas sim de alegria. O pai corujão assistiu ao parto todo e jura ter visto, num dos cortes da minha protuberante pança uma camada amarela, o qual garante que era gordura... (onde tá maluco?só podia tá com a visão afetada de nervoso! Oras!). 

Dos 16 kg adquiridos na gestação, apenas 3 insistem em não me largar mais (aaai Nossa Senhora da Calça 38, olhai por mim!). Ah... lembram do médico teimoso? Pois é... o pediatra após todos os exames, constatou que meu pitchuco estava de 40 semanas completas... Faa-leeei! no dia que eu fiz o muleque, seu dotô nem tava lá pra saber uai! 
Aos 2 meses


Chega de papo e vamos pra cozinha, contar o lanche que comi antes que o Henrique viesse ao mundo. Não sei se tava realmente na hora ou foi a quantidade de lanche que expulsou o piá da pança! 


Sandubão Pré-bebê 




 04 pães de cachorro quente
01 Cenoura ralada Folhas de Acelga (também conhecida como Mostarda, Couve Chinesa...)
Maionese qb 04 filés de frango temperados com sal e alho e grelhados ao shoyu
 02 Cebolas em rodelas de 1 cm
Trigo qb Cerveja qb
01 ovo Sal e pimenta a gosto


 Faça uma massa com o trigo, a cerveja, o ovo, o sal e a pimenta, misture bem, passe as rodelas de cebola e frite em óleo bem quente. Escorra em papel absorvente. Tempere a gosto a cenoura ralada e misture a maionese, passe nos pães e vá armando o sanduiche. Em cada pão, coloque a cenoura, um filé grelhado no shoyu, a cebola frita em rodelas e folhas de acelga.


 PS: a receita é simples, por dois motivos... uma porque eu não podia comer muito (mas comi) e outra porque a postagem hoje é longa... Saudadona de todos que passam por aqui!