10/03/2008

IMPRESSÕES DA GASTRONOMIA URUGUAIA, NA VISÃO DE UMA GOURMET...

A psicóloga e gourmet Monica Nunez fala suas impressões da gastronomia uruguaia, de porções generosas, e que traz pratos como ravióli de cérebro e uma versão de nosso X-tudo.
Casada com um uruguaio, Monica mudou-se para o país há um ano e conheceu hábitos alimentares bem diferentes aos nossos. Gourmet dedicada - adora cozinhar e ler sobre gastronomia —- ela conta ao Basilico um pouco de suas vivências no país do chimarrão.
.
Menos peixe, mais carne"Uma das coisas que mais me chamou a atenção sobre os hábitos alimentares do uruguaio é que, apesar de viverem num território com uma enorme extensão de água, os pratos mais comuns e conhecidos não são à base de peixe. Ao contrário, o uruguaio come predominantemente carne vermelha, em grandes quantidades e com muita freqüência. Alguns deles acham que, se não comem carne, não estão saciados. Assim, o asado uruguayo (churrasco deles) é o orgulho nacional."
.
Mercado del Puerto e Carne na lenha
.
Ao contrário de nós, eles preparam o churrasco sempre com lenha (nunca com carvão), o que muda completamente o resultado final: um sabor defumado, bem pronunciado."
Mercado del Puerto"O turista que chega a Montevidéu é instigado a conhecer o Mercado del Puerto, antigo mercado municipal, situado exatamente em frente ao Porto de Montevidéu (que faz várias conexões diárias com Buenos Aires pelo Rio de la Plata). Aí se oferece o típico asado uruguaio para todos os gostos e a preços variados. Lá, pode-se sentar à mesa e pedir um brasero que traz pequenas quantidades de cada especialidade."
MERCADO DEL PUERTO

Região sul do Uruguai
"O asado"
.
O mais tradicional entre as diversas opções do Mercado é o El Palenque. Quando fui apresentada ao famoso asado, minha preocupação foi tentar reconhecer alguma parte da vaca naquela mesa! E quanto mais eu perguntava, mais eu me desesperava, porque me diziam que ali havia glândula salivar (molleja), intestino fino (chinchulin), intestino grosso (choto), lingüiça de sangue coagulado (morcilla dulce y salada) etc.
.
"Mollejas"
.
Sou uma aficcionada pela molleja, porque não há nada com sabor e textura semelhantes. E sempre acompanhada do chimichurri (molho à base de azeite, bastante picante com salsinha, páprica, orégano e muito alho). A melhor molleja que comi em Montevidéu foi no restaurante Indochine (http://www.indochine.com.uy/, William 594, Montevideo, UY, tel. 00xx598 2/ 710-2978), de cozinha fusion, que criou um prato espetacular: mollejas thai (mollejas picantes servidas sobre batatas doce fritas).

INDOCHINE

A bebida que acompanha a picada (momentos que antecedem o churrasco, um espécie de tira-gosto brasileiro) é o uísque (o Uruguai é o 2º maior consumidor da bebida per capita!)

"Pratos de esquina"

A simplicidade da comida também me chamou a atenção. Com exceção dos bons restaurantes de Montevidéu ou de Punta del Este, a comida em geral é rústica e vem em enormes porções. Tenho a impressão de que essa característica é positiva para quem está a passeio, pois em qualquer esquina é possível matar a fome sem gastar muito: pode-se pedir um chivito (parecido com o X-tudo nosso, mas com um finíssimo filé de carne suculento...), que pode ser al pan, al plato ou canadiense (acompanhado de batatas fritas). O nome vem de chivo (que significa "cabrito", carne com a qual originalmente se elaborava esse sanduíche). O grande desafio é comer um chivito para dos, sanduíche com cerca de 20 cm de altura, acompanhado de salada russa, batatas fritas, bacon etc.
Ao lado do chivito, o pancho (cachorro-quente) é a estrela das chiviterias do Uruguai. La Pasiva (Av. Gorlero y Calle, 28 Punta del Este, tel. 00xx598 42/ 44 1316) —- com mais de 15 filiais (que é muito para o Uruguai!) —- é o ponto de encontro de gente de todas as idades, a qualquer hora, e que oferece uma mostarda especial, segredo da casa."
.

Ravióli de miolos
.
A comida uruguaia parece não variar muito entre os estados. Tive a oportunidade de percorrer praticamente todo o território seguindo a "Vuelta Ciclista", um evento anual em que competem ciclistas de vários países. Durante os 10 dias do evento, além dos inúmeros asados com os quais me deliciei, fui também apresentada aos ravioles de seso (ravióli de miolos), e ao asado con cuero (churrasco em que se serve a carne da vaca, incluindo o couro, pêlo e tudo o mais...), pratos muito apreciados pelo interior afora. A melhor maneira de experimentá-los é passar uma temporada numa das inúmeras estâncias que o Uruguai oferece.
.
Punta del Este
.
É praticamente impossível falar em Uruguai sem mencionar Punta del Este que, definitivamente, não é lugar de mochileiros. Lá se come basicamente comida internacional a um custo bastante elevado. Mas eu consegui descobrir uma alternativa bastante viável para quando tenho de passar uma temporada por ali: é o Ártico: apesar da vista para os iates do Porto de Punta del Este e para a Ilha de Goritis, oferece a um preço razoável um "self-service" de frutos do mar gostoso e variado, além de uma deliciosa paella. Com US$ 10, é possível desfrutar esse famoso balneário sem ficar desfalcado...

Reportagem Basílico.

Nenhum comentário: